quinta-feira, 27 de julho de 2017

Mar de solidão


Num  mar de solidão,
Anoitece  em mim, uma saudade
Imobilizam-se os reflexos da Lua,
Silenciam-se as ondas
As dores...
E a passagem do tempo?
Em lágrimas se dispersa,
E refugia-se no encanto
Das lembranças do amor,
Da lâmina afiada que corta
A pétala, e divide o espinho
Da roseira ao meio,
À meia-luz
Das noites insones,
Silenciando, meus pensamentos.

Vanice Zimerman, IWA - 27/07/2017

Foto: Vanice - 2015
***