segunda-feira, 30 de novembro de 2015

domingo, 29 de novembro de 2015

Mon Amour

A lembrança
Do teu  rosto
Envolve o fim de tarde,
E a Saudade anoitece e alonga-se
No brilho da lágrima que desliza,
E deixa-se acariciar pela chuva,
Num breve silêncio dos sinos-de-vento...
Van Zimerman

****
Mon Amour

La mémoire
De votre visage
Elle implique fin de journée

Van Zimerman

sábado, 28 de novembro de 2015

Reflexos no Piano






Num canto da sala,
O  piano antigo reflete um rosto...
Enquanto,  as teclas em silêncio sonham
Com os  toques suaves e intensos
Das tuas mãos...

Foto e poema: Van Zimeman
28/11/2015

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

No entrelaçar das nossas mãos




Madrugada
Começa a chover
Na beira da praia,
A chuva  suaviza
E desfaz nossas pegadas,
Mas, continuamos a caminhar juntos...
No entrelaçar das nossas mãos
O Amor tece as cores do amanhecer...
Foto e poema: Van Zimerman 
27/11/2015

Uma Saudade (Microconto)




Na esquina  dilui-se tua imagem... Ah, e nas  gotas d’água, os  reflexos de uma  saudade...
Van Zimerman 
 26/11/2015

terça-feira, 24 de novembro de 2015

Van Zimerman - Perfil

Van Zimerman -Perfil 


                                  http://www.recantodasletras.com.br/autores/vaniceferreira


Haiga (Haicai com imagem)



As cores deslizam
escorrem em gotas,
versos surreais


Van Zimerman


Mandalas de Folhas




Em uma das mãos seguro
Uma folha  do Plátano
Lembranças do Outono...
Na fragilidade da folha,
Ainda sinto o toque das tuas mãos,
E, de um tempo em que fazíamos
Mandalas de folhas...
E depois ficávamos juntinhos,
Observando a brisa
Acariciar as folhas,
E as cores do pôr do sol.
Não resisto e...
As lágrimas escapam.


Tela e poema: Van Zimerman
 22/11/2015

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

DOIS CORAÇÔES


A tinta vermelha dilui-se em água
E, em algumas gotas do brilho do teu olhar,
Do teu perfume...
Os tons aconchegam-se,
Tingindo a folha de Canson
E assim o Amor aquarela-se suave e intenso,
Unindo dois corações...
Van Zimerman
20/11/2015

Silêncio e Saudade

N
Na pausa da chuva
A Lua  brinca de esconde-esconde,
Enquanto fecho o livro de poesias,
Ah, tanto silêncio e saudade...

Van Zimerman
Nana Caymi Dois Corações

sábado, 14 de novembro de 2015

O abridor de cartas



O antigo abridor de cartas,
Ainda guarda o calor da tua mão.
Há tantos caminhos
Nas linhas das tuas mãos
Que ficaram suavemente impressos
Em meu corpo e alma...
Saudade que se aconchega,
Buscando respirar  a tua presença
Em cada objeto,
Cada sorriso,
E nas  palavras de amor,
Que ainda sobrevivem a distância,
Lembram páginas
De  um perfumado pergaminho
Feito de pétalas de rosas...


Van Zimerman


Sugestão de música:
Krystian Zimerman - Beethoven - Piano Concerto No 3 in C minor, Op 37Krystian Zimerman - Beethoven - Piano Concerto No 3 in C minor, Op 3

MANDALA AZUL


Na tela em branco,
Um coração azul, em silêncio
E Repleto de saudades
Descontrói-se,
Estilhaça a solidão em gotas...
E, em pinceladas intensas,
O Amor renasce em nuances azuis,
Mandala surreal
Refletida em teu olhar...
Tela e poema: Van Zimerman
 14/11/2015

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

No deslizar das lágrimas



Lua ausente,

Presente em meu olhar

O teu rosto, e por segundos
O espelho reflete tua presença...
Rotina que silencia a mente,
Mas, não silencia o coração:
No deslizar das lágrimas
Desmancham-se letras,
Misturam-se cores
Flutuam reticências
Que acariciam tua ausência...

Van Zimerman
13/11/2015 

domingo, 8 de novembro de 2015

CANECA DE ÁGATA



Em cima da pia,
Ao lado do filtro de barro
A tua caneca de ágata azul,
Com os morangos recém-colhidos...
Na mesa da sala, teu  livro preferido,
Ainda entreaberto
com as pétalas de rosa
Esperam  tua volta...

Velatura e  poema:  Van Zimerman

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

HAICAI: RETRATO EM TRÊS VERSOS


Agradeço a Revista Carlos Zemek e a escritora Isabel Furini, o convite  e ótima publicação.

Van Zimerman


http://revistacazemek.blogspot.com.br/2015/10/van-zimerman-haicai-retrato-em-tres.html

Saudade tecida em linho


Num mágico bailar,
Entre o amor e a sensualidade
As lembranças brincam
De esconde-esconde
Nas dobras da manga da tua camisa,
E a Saudade tecida em linho
Refugia-se no colarinho,
Ainda com teu perfume...
Van Zimerman
06/11/2015

A barba por fazer...


Madrugada,
Um lampião
Ilumina teu rosto
Os cabelos em desalinho
A barba por fazer,
Em silêncio
Respiro você...
Em oito versos.
Van Zimerman
05/11/2015

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Ausência da Lua

Noite sem Lua,
Os ponteiros do relógio de parede imóveis
Ouço “Clair de Lune”...
O som do piano toca minh’alma
E a saudade desenha arabescos
Nas linhas das minhas mãos
E, em cada lágrima,
Um breve espelho
Reflete  tua ausência.

Van Zimerman


"Clair de Lune"