sábado, 1 de julho de 2017

Madrugada em versos

A noite fria
Envolve meu quarto,
Na imobilidade da cortina de rendas
Afasto-as com se pudesse
Descortinar a noite,
Ir ao teu encontro...
A saudade invade-me
Com as cores da madrugada,
Repleta da lembrança,
Do teu olhar e do toque
Carinhoso das tuas mãos,
E assim, observo na janela,
A solidão do vidro trincado
Com o desenho do perfil
De um pássaro,
Sinto tanto frio, e
Acaricio  devagar seus contornos
Para não cortar meus dedos...
Ele e eu não voamos,
Mas sonhamos em voar...
Enquanto  a madrugada em versos
Pincela, sem pressa,
As cores do nosso amanhecer...
Vanice Zimerman, IWA
em 28/06/2017