sábado, 31 de outubro de 2015

Pequenos Vitrais Surreais









Do porta-retratos
As lembranças descolam-se
Movimentam-se com intensidade
E assim, quebram o vidro  que renasce
Em  mosaicos encantados...
E por segundos,
Posso sentir teu perfume,
Tocar em teu rosto,
Fecho os olhos
E abraço as tramas
Da antiga camisa branca
Que você insistia em dobrar as mangas,
Guardei um dos botões,
E muitos sonhos juntos.
E assim à noite sem pressa
Em sintonia com a chuva me faz companhia,
Enquanto observo  os pequenos vitrais surreais,
Coloridos por uma saudade intensa
Que pincela a cada amanhecer
A esperança da tua volta...
Van Zimerman
01/11/2015