sábado, 12 de novembro de 2016

Quando o amor está distante...


Inspiro,
Respiro
A lentidão das horas,
Sinto cada segundo da tua ausência,
Observo o imóvel sino- de-vento,
Saudades do teu vento, meu menino
Que desalinnha meus cabelos,
E tonaliza meu céu,
Nosso céu de azul...
Difícil viver
Quando o amor está distante...
E a saudade contida
No silêncio da voz
Tinge com sombras,
Mais uma noite,
Solitária noite.
E a saudade contida
Adormece e sonha
Com teu pôr do sol...

Van Zimerman
12/11/2016