sexta-feira, 30 de maio de 2014

Nas tramas da camisa branca

 


Às vezes, busco encontrá-lo
Em outro alguém, mas sei que você
Nunca mais voltará...
E a camisa branca continuará vazia
Sem os contornos tão lindos do seu corpo
A camisa branca, ainda guarda seu perfume, sua voz.
No tecido antigo,
As lembranças tecem seu rosto,
Quase, sinto  seus beijos.
Nas horas longas da noite
A camisa branca faz-me companhia,
E, enfim a saudade aconchega-se
Nos fios horizontais e transversais
Traçados pelo destino,
Nas tramas da camisa branca.

Vanice Zimerman Ferreira
           30/05/2014