quinta-feira, 1 de maio de 2014

Chaves Quebradas (Prosa Poética)

 

Guardadas em uma gaveta, quase esquecida, como as chaves quebradas, que não abrem ou fecham.
Nem mais espiam, discretamente nas fechaduras da portas dos quartos...
Mas ainda têm em suas memórias, as  lembranças das mãos pequenas, delicadas, ou grandes e fortes que as tocaram.
E que muitas vezes,  ansiosas as seguraram, buscando abrir portas e assim conhecerem o mundo...
Chaves quebradas que diversas portas abriram, algumas do coração e assim, presenciaram declarações de amor, alegrias e a ausência de palavras nas despedidas...
Chaves antigas repletas de histórias escutaram segredos, embora quebradas permanecem inteiras,  guardando os mistérios a sete chaves...
 
Vanice Zimerman Ferreira