segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Ao toque do vento...




Na solidão dos barcos
E das redes de pesca,
Deixados na areia,
Senti saudades da tua voz...
Ao toque do vento
Diluem-se no mar as  reticências.
Van Zimerman 
08/02/2016