terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Em uma gaveta qualquer...

 
Busco o calor das suas mãos e toque suave dos seus dedos, mas, não os encontro, encontro apenas o silêncio e a solidão que parecem intermináveis...
Desacostumei do seu carinho, mas ainda não me acostumei com sua ausência. Continuo a esperá-la, guardado em uma gaveta qualquer, seu antigo livro de poesias...
 
Vanice Zimerman Ferreira
23/12/2013