quarta-feira, 25 de maio de 2016

Solidão em versos d'água

Noite de maio,
Chove, enquanto escrevo,
A saudade cintila...

Lembro-me da tua voz,
Não esqueço teu sorriso
Amo,  o jeito especial, surreal
De imaginar você me amando,
Bem devagarinho...
Quanto amor está contido
No desejo de um beijo?
No toque das tuas mãos?
Contido está o amor
Em cada verso d’ água,
Contido está o amor
Na distância, na saudade
No silenciar da tua voz,
E em cada gota de chuva que continua...


Van Zimerman
***
Astrud Gilberto: Gentle Rain