domingo, 20 de março de 2016

Anoitece em mim


Anoitece em mim
Uma saudade,
Cada vez mais intensa
Do amor tão distante...
Seguro nas grades da janela,
Solto o pensamento
Mas, as palavras contidas,
Apenas ensaiam sussurrar teu nome...
Deixo a janela aberta,
Algumas  pétalas de rosa caem no tapete azul,
Enquanto o vento insiste
Em cariciar as folhas de manjericão,
Perfumando o jardim,
Imagino teu rosto, tua barba por fazer
E a presença de um lampião  antigo
A iluminar-te... e ao  tabuleiro de xadrez,
Então fecho os olhos
E beijo  devagarinho, devagarinho,
Tua fotografia.
Van Zimerman
19/03/2016