terça-feira, 7 de julho de 2015

REFLEXOS DE UMA SAUDADE



Ao olhar-me no espelho,
Ainda encontro teu olhar
Finjo que não o vejo, disfarço
E, curiosa, o espio...
A cada toque do vento,
Imagino tua volta, viajo em versos.
Viajo em cada lembrança
Mas, a distância aquarela tuas palavras,
Deixando-as tão frágeis, feito pétalas,
Feito sonhos de cristal,
Desejo tanto você ao meu lado,
Que a saudade, por segundos, o retira do espelho...
O espelho permanece inteiro,  e eu?



     Vanice Zimerman
           06/07/2015